sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

8 Crítica: Zumbilândia

4/5
Zumbilândia
(Zombieland, 2009)

 






Muita correria, tiros e, é claro, zumbis fazem dessa comédia um divertidíssimo programa.

O interessante dos filmes de zumbis – sub-gênero tão amado/odiado – é que eles podem funcionar como crítica social de várias formas diferentes. Pode ser lá no início, com as referências sociopolíticas de A Noite dos Mortos Vivos (1968), de George A. Romero; ou, um pouco mais adiante, com as críticas ao consumismo de O Despertar dos Mortos (1978); ou, bem recentemente, com o louco Todo Mundo Quase Morto. Agora, é a vez de Zumbilândia, que apesar de algumas críticas sociais (“Este é os Estados Unidos da Zumbilândia”) destoa um pouco dos seus antecessores, sendo uma paródia e passando mais uma mensagem otimista do quê criticando algum comportamento social.

“A trama acompanha o jovem nerd Columbus (Jesse Eisenberg), ex-jogador de videogame solitário, virgem, que só sobreviveu ao holocausto zumbi porque continuou fazendo nele o que sempre fez melhor: se esconder atrás de suas regras rígidas. Já Tallahassee (Woody Harrelson) é o oposto, não tem medo de nada e é o melhor naquilo que faz: matar mortos de vez. Em um mundo pós-apocalíptico, Columbus e Tallahasse formam uma dupla perfeita de sobreviventes... até descobrirem que existem outras pessoas, as irmãs Wichita e Little Rock (Emma Stone e Abigail Breslin), ainda mais preparadas que eles para a vida nesse ambiente inóspito.”

O filme – que, inicialmente, seria uma série de tevê – é dirigido pelo estreante Ruben Fleischer, oriundo dos vídeo-clipes – ramo que vem trazendo diretores bem talentosos, como Mark Webb, novo diretor dos filmes do Homem-Aranha, que tem como trabalho de estréia 500 Dias com Ela (leia a crítica desse filme aqui).

Fleischer dirige o filme de forma bastante divertida e criativa, dialogando muito bem com seu principal mercado consumidor: o público jovem. O roteiro, escrito por Rhett Reese e Paul Wern, não apresenta nenhuma grande inovação ou trama bem elaborada. Na verdade, não existe nem mesmo uma “história”. São quatro pessoas perdidas em um mundo infestado por zumbis e que não sabem muito bem aonde ir.

Afora as já citadas críticas sociais, presentes em todos os bons exemplares de filmes de zumbis, o que a dupla de roteiristas quer passar com o filme é o que o personagem de Woody Harrelson ensina em determinado momento: “Aproveite as pequenas coisas”. Se todo o planeta está destruído e não temos para onde ir, vamos nos divertir com o que nos resta. No caso deles, destruir lojas de conveniência, dormir em mansões de Hollywood ou, até mesmo, arriscar a vida procurando doces. Em um mundo tão cheio de más notícias como o nosso, uma mensagem como essa é bem interessante e oportuna.

O filme conta com um excelente elenco. Woody Harrelson (Assassinos por Natureza), que está sendo redescoberto, é o mais experiente. O seu Tallahassee é divertidíssimo, fazendo o tipo durão que adora matar zumbis. Jesse Eisenberg (Férias Frustradas de Verão) se sai muito bem como o nerd doce e neurótico. Abigail Breslin ( a Pequena Miss Sunshine) – que vem tendo uma adolescência bem mais agradável que a de Dakota Fanning – e Emma Stone, de Superbad - É Hoje – também estão bem à vontade em seus papéis. O filme ainda tem uma pequena (mas genial) participação de Bill Murray, astro cult do momento e um dos meus atores preferidos, interpretando a si mesmo.

Zumbilândia é uma ótima comédia de zumbis, que mantém os elementos básicos desse famoso sub-gênero, inclusive a crítica social, mas nunca se leva muito a sério, funcionando mais como paródia. Um filme que busca, acima de tudo, divertir. E executa tal tarefa de maneira formidável. Ao assistir a Zumbilândia... aproveite as pequenas coisas.

8 comentários:

Jardel Nunes disse...

O filme é realmente muito divertido, e uma enorme crítica social..
Gostei muito do seu texto, abordando esses aspectos, como o Aproveite as Pequenas Coisas...
Como você viu, no meu texto, eu me prendi mais a parte cômica do filme...

Abraços

Jeniss Walker disse...

parece realmente um filme joinha. mas creio que só vou ve-lo em DVD. abraço :)

Eduardo Porto disse...

É um ótimo programa para quem quer ir ao cinema apenas com o compromisso das risadas. Apesar de ter como tema zumbis, é um filme até mesmo levado de forma leve.

kah disse...

Fui pego de surpresa com este filme. Vi ele mes passado e gostei muito. Recomendo a todos!

http://cinemaemdvd.blogspot.com/

it was RED - Para quem gosta de cinema disse...

Muito bom teu texto! Recordei-me das noites nas quais ficava fuçando nos sites de mensagens subliminares.

Renan Canuto disse...

Um amigo falou tão bem quanto você deste filme. Vou tentar vê-lo no cinema, que é sempre mais interessante. Gostei da resenha, bem enriquecedora.

No meu blog, escrevi sobre Sempre ao seu Lado, filme do cachorro Hachiko, que tem Richard Gere no elenco. Excelente dica!

Abraços.

Anônimo disse...

I almost nеvеr ԁrοp responѕes, howеνer after rеаding some of the гemaгkѕ on "Cr�tica: Zumbil�ndia".

I actually do have a couple of questionѕ foг уou if you tend
nоt to mind. Cοulԁ it bе simply me оr
dοes it lοok likе liκe some οf the remaгkѕ appeаr
as if thеy аre coming from brain dead ρeople?
:-P Аnd, if уou are writing on other оnlіne sites, I ωould liκе tο
keeρ up with you. Could yοu pοst a list of all
of yοur sοсial netωorking pages lіke your linkedin pгοfile, Faсeboοk page or twitter feed?


Feel free to ѕurf to my webpаge :: Daniel Chavez Moran

Anônimo disse...

Wonderful beat ! I ωіsh tο aрpгentice whilst уou amend yοur
web ѕitе, how can i subѕcribe for a blog
wеb site? Τhe аcсount helped me а acceptable ԁeal.
Ι wеre tiny bit famіliar οf thіs
youг broaԁcаѕt offerеd bгight clear
іdea

My web-site Arjun Kanuri

Postar um comentário

O Cinema para Desocupados agradece pelos comentários!

Sempre que necessário os responderemos.