sábado, 14 de agosto de 2010

12 Crítica: A Origem

A Origem
(Inception, 2010)
Direção
Christopher Nolan
Roteiro
Christopher Nolan
Elenco
Leonardo DiCaprio, Ellen Page, Joseph Gordon-Levitt, Marion Cotillard, Ken Watanab


 Assim como seu diretor, A Origem é bom, mas nem tanto

A expectativa em torno de A Origem era imensa. O filme nem havia estreado e já era um dos assuntos mais comentados no mundo (leia-se internet). Ora, mas tal expectativa tem fundamento: A Origem é o novo filme de Christopher Nolan, diretor de Amnésia e de Batman – O Cavaleiro das Trevas.

Apesar da carreira relativamente curta, Nolan já é endeusado por alguns, é “o único a fazer cinema inteligente em Hollywood”, “gênio”, “vanguardista” e tudo mais aquilo que dizem quando um talento assim surge. 

Mas vamos com calma. Nolan é bom, mas não como dizem. Ao seu A Origem se aplica a mesma idéia. É bom. Mas nem tanto.

A história nos mostra Cobb (Leonardo Di Caprio, sempre bem), um especialista em invasões de sonhos que, junto de sua equipe, invade a mente de suas vítimas e rouba ideias nelas contidas, normalmente segredos industriais.

Impedido de entrar nos EUA, Cobb, ainda afetado pela morte da mulher (Marion Cotillard), vê a chance de voltar para junto de seus filhos quando Saito (Ken Watanabe) propõe um trabalho diferente para ele: não roubar, mas gerar uma idéia.

Então ele e sua equipe, composta por Arthur (Joseph Gordon-Levitt), Eames (Tom Hardy), Yusuf (Dileep Rao), a novata Ariadne (Ellen Page) e o próprio Saito, que quer fiscalizar o trabalho de perto, todos com tarefas bem definidas, partem com tudo planejado para o trabalho, mas, é claro, em algum momento (que não tarda) tudo começa a dar errado.

A Origem não é inovador nem revolucionário. Na verdade, trabalha com fórmulas já conhecidas, inclusive de outros filmes de Nolan. A estrutura é a mesma dos filmes de assalto. O tema, conhecido de outros filmes (Matrix, Paprika, só para citar dois). Mas, se é assim, por que todo esse alarde em torno de A Origem? 

A resposta é formada por três partes: (a) Nolan é um diretor que sabe usar as expectativas a seu favor (ao contrário de Shyamalan), (b) Resultado de um incrível trabalho de promoção – que apostava no mistério – e, o principal, (c) O filme tem lá suas qualidades – técnicas principalmente.

Esse é um daqueles filmes que se deve assistir em uma tela gigante, com um sistema de som anabolizado. O impacto visual é imenso (uma cidade é dobrada na nossa frente!). Os efeitos visuais e sonoros, as cenas de ação (sempre muito bem dirigidas por Nolan), tudo isso mais a robusta trilha sonora de Hans Zimmer dão ao filme um ar de grandioso. 

Isso mais um roteiro bem elaborado (complicado mas não complexo) dão a falsa a impressão que A Origem é uma obra-prima. É um bom filme (bem dirigido, escrito e atuado), mas que não é tudo o que acham e dizem. Com o tempo, quando essa aura santa sobre Nolan se dispersar, vai perder um pouco o seu valor. Num processo que chamo de cult às avessas.

12 comentários:

Tiago Britto disse...

Nossa! Seu blog deu uma mudada né? Tá muito show!

Gostei de sua crítica, mas achei o filme merecedor de uma nota 10...é maravilhoso e entretem de uma forma que só para resumir..as pessoas não param de me ligar para perguntar sobre o final...acho que o trabalho atingiu um status posterior a sala de cinema! abs

Jack, The Ripper disse...

Gostei do novo layout do blog. Ficou bem aconchegante.

Ótima crítica, estou realmente ansioso para ver o filme. Devo admitir que adoro o trabalho de Christopher Nolan, apesar de que, assim como você, não o achar um diretor tão brilhante.

Kamila disse...

Este filme é genial! Guardadas as devidas proporções, é o equivalente de "Avatar" para a linguagem cinematográfica em 2010. Uma obra que veio para definir padrões e instigar a gente. Gosto disso!

Jardel Nunes disse...

"Cult às Avessas"? Gostei da definição. Aliás Mateus, você está bem profético ein, depois do John Cusack sendo o novo Bill Murray hehehe
Falando do filme, quero assistir, tomara que passe aqui no cinema, pois oomo você mesmo disse, é o tipo de filme pra se ver na telona.
Mas não acho o Nolan o máximo na direção, seus primeiros filmes eram mais "soltos", agora parece que ele quer sempre ser o maior, muito exagero... mas vou assistir sim.

Ah, muito bom o novo visual do blog. facilitou a navegação e tudo mais... deve ter dado trabalho hehe

Abraços

Mateus Souza disse...

TIAGO: Acho que poucos pensam diferente de você. A Origem, sem entrar no mérito do filme, já é um fenômeno. Ah, o blog mudou muito mesmo, hehe. obrigado.

JACK: Opa, obrigado também. Vale a pena assistir mesmo. Posso não achar o filme do ano e tudo mais, mas o indico, sem dúvida.

KAMILA: Não sei bem se é pra tanto, pois, como disse, acho que trabalha com material já conhecido, nem inovar, como Avatar faz (em relação ao 3D, não ao enredo). Mas que instigou muita gente é verdade.

JARDEL: Haha, tem razão, Jardel. Tomara que eu acerte pelo menos uma. Também acho que o Nolan é meio pretencioso. Você viu o OmeleTV da semana passada? Eles falam justamente disso. Ah, deu um trabalho imenso mesmo, hehe.

Obrigado a todos pelos comentários!

Renan Canuto disse...

Maneiro o novo visual do blog.

Ainda não vi A Origem, mas é fato que este filme está gerando polêmica e diversas discussões entre os cinéfilos. Uns amam, outros odeiam e alguns ficam no meio termo.

Mateus, apesar de eu nem sempre comentar por aqui, leio assiduamente o blog. Gosto do linguajar usado aqui.

Abraço!

Mateus Souza disse...

RENAN: Tem razão, gostando ou não, o filme está mesmo gerando discussões, e isso é legal. Ah, obrigado pelo elogio. Fico feliz em saber.

Abraço.

Jardel Nunes disse...

Vi sim Mateus, os caras falaram coisas bem interessantes sobre o tema. Tanto que resolvi ver uns filmes dos anos 80, mais descontraidos. Tanto que tem lá no Topanga um texto sobre os Caça-Fantasmas hehe
Bill Murray is God.

Abraços

Nekas disse...

Eu sou da opinião que Nolan é um génio e Inception uma obra sublime.

Abraço
Cinema as my World

Silvia Freitas disse...

Concordo contigo Mateus, o filme é bom, mas não é aquela coisa toda que o povo anda falando. Muita gente tá endeusando o filme como filme do ano. Até pode ser, mas ainda prefiro esperar, pq ele não me surpreendeu tanto assim. Gostei do seu blog, vou segui-lo. Tbm fiz uma crítica para esse filme, dá uma espiada em http://namanhadogato.blogspot.com/

Mateus Souza disse...

NEKAS: Como disse no texto, acredito que não é para tanto.

SILVIA: Do ano e já tem gente dizendo da década! Não sei, as pessoas estão ávidas por novos gênios e acabam abraçando qualquer um que apareça - não que Nolan não possa se tornar um, gosto dos seus filmes, mas ele ainda não é um gênio.

AGENTE FOOSE disse...

Olá!

Assisti o filme e gostei!Tbm acho que falam mais do que realmente é... mas tirando A origem, ficamos com poucos grandes filmes esse ano. E tirando todas as tranqueiras que temos hj só resta ele mesmo:-)
Que legal a sua crítica!!! Não conhecia seu blog, gostei da dinâmica e do texto de agradável leitura! Já estou te seguindo e Fatalmente estarei sempre aqui!!! Trabalho com Home-Vídeo e também Tenho um Blog sobre Cinema, e aproveito para convidar você a conhecer meu blog:
..::Foose::.. http://agentefoose.blogspot.com/
Lá você encontra tudo sobre cinema, dvd/blu-ray, criticas, sinopse, games, mangá, anime, humor, shows e tecnologia. Tudo isso em uma descontraída!
Se puder, confira e se quiser comente, pois lá o mais importante é o seu comentário.
Um grande abraço e te encontro lá

Postar um comentário

O Cinema para Desocupados agradece pelos comentários!

Sempre que necessário os responderemos.